IL lamenta que “PS e PSD não falem em baixar impostos e em facilitar a vida às pessoas”

Direitos Reservados

O cabeça de lista da Iniciativa Liberal pelo círculo eleitoral dos Açores às eleições Legislativas do próximo dia 30 de janeiro lamentou que ninguém “oiça PS e PSD a defender e preconizar uma baixa da carga fiscal e uma simplificação do sistema fiscal em Portugal”.

No final de uma visita à empresa Asinus Atlanticus (empresa produtora, transformadora e exportadora de leite de burra), em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, o candidato liberal afirmou que a mensagem principal da sua campanha passará pela “necessidade de libertar as pessoas e as empresas do peso do Estado”, considerando que “o Estado tem de facilitar a vida às pessoas, deixando de estar metido em tudo e a cobrar sobre aquilo que não é seu”, disse Pedro Ferreira, citado em nota.

Apontando que atualmente o regime fiscal em Portugal “é uma das principais causas de fugas de talentos portugueses para outros países do Mundo”, o candidato referiu que “existem 4300 taxas e taxinhas no sistema fiscal português, que são sobre as pessoas e sobre as empresas e que “ninguém ouve PS e PSD falar em reduzir a carga fiscal em Portugal ou proceder a uma simplificação do sistema fiscal em Portugal”, afirmou.

“Hoje em dia, uma empresa tem os encargos com os trabalhadores, fora os encargos fixos com o subsídio de alimentação, seguro de acidentes de trabalho e encargos com as questões da higiene e segurança no trabalho. Depois disso, a empresa tem a sua componente de 23% para a Segurança Social; acresce o IRC. Se a empresa tiver um imóvel para instalar a sua sede, tem que pagar o IMI; se vender um imóvel no âmbito da sua atividade tem que pagar o IMT; se adquirir uma viatura para a empresa, paga o Imposto sobre Veículos; se circular com a viatura paga o Imposto Único de Circulação e se lhe meter combustível paga o Imposto sobre Produtos Petrolíferos… Como é que, no fim de um mês, se consegue tirar algum rendimento disto e gratificar convenientemente aqueles que trabalham para as empresas?”, denunciou.

O candidato da Iniciativa Liberal frisou ainda que “é preciso os grandes partidos deste país perceberem que não podemos continuar neste registo de massacrar as pessoas com impostos, para depois o Estado andar a vender ao desbarato, a dar ao desbarato ou a meter ao desbarato o dinheiro dos contribuintes e dos nossos impostos em buracos, como temos visto com os bancos, com a TAP e, eventualmente, como se vai ver com a SATA”.

Avançando com uma proposta concreta, Pedro Ferreiro, afirmou que a Iniciativa Liberal tem uma proposta muito concreta de redução de impostos, que passa pela “taxa única de IRS de 15%, com as isenções até aos 600 euros e com deduções de 200 euros por cada filho”.

Não sendo esta uma mensagem de campanha especificamente dirigida aos Açores, Pedro Ferreira disse que “qualquer redução da carga fiscal e qualquer simplificação do sistema fiscal em Portugal, vai beneficiar, e muito, os Açores, onde todos os custos de contexto e de produção já são acima da média nacional”, finalizou.

Lusa/+central

Link permanente para este artigo: https://maiscentral.com.pt/il-lamenta-que-ps-e-psd-nao-falem-em-baixar-impostos-e-em-facilitar-a-vida-as-pessoas/