CDS-PP lamenta “clima de medo” imposto pelos socialistas nos Açores

CDS STA MARIAO líder regional do CDS-PP Açores realçou, ontem à noite, o sentimento de medo que se volta a sentir hoje na sociedade açoriana, 20 anos depois de um ciclo de governação socialista, recordando que, na década de 90, quando o PSD deixou de ser governo o sentimento dos açorianos era semelhante, tendo receio em manifestar livremente as suas opiniões ou participarem em listas de partidos que não seja o partido do poder.

Na apresentação pública do cabeça de lista do CDS-PP pelo círculo eleitoral de Santa Maria às Regionais de 16 de outubro – o controlador de tráfego aéreo aposentado João Filipe Silva –, Artur Lima frisou que “em 40 anos de Autonomia, os Açorianos têm 20 anos de experiência governativa do PSD e 20 anos de experiência governativa do PS. Na década de 90, no fim dos mandatos do PSD, vivia-se um clima de algum medo nos Açores; curiosamente ao fim de 20 anos de governos do PS vive-se algum clima de medo nos Açores”.

Segundo o presidente dos populares açorianos, “as pessoas têm, hoje em dia, alguma dificuldade e receio em manifestar a sua opinião ou em irem em listas que não sejam as listas do partido do poder. Portanto, é muito importante que os Açorianos votem no CDS, porque somos o único partido capaz de retirar a maioria absoluta ao PS e somos a alternativa de voto ao PSD que não vai ganhar as eleições”.

Lembrando aos eleitores que nas Regionais do próximo dia 16 de outubro “ninguém vai votar para eleger o presidente do Governo, mas sim os deputados que vão (ou deviam) defender os superiores interesses de cada uma das suas ilhas”, Artur Lima recordou também que o CDS-PP, há 40 anos atrás, nas primeiras eleições Regionais pós 25 de Abril, elegeu um Deputado por Santa Maria, apelando, por isso, aos Marienses para que “façam jus à história e voltem a eleger um deputado do CDS por Santa Maria”.

Já João Filipe Silva, cabeça de lista do CDS-PP pela ilha do Sol, assumiu que aceitou o convite que lhe foi endereçado “com sentido de missão, com o intuito de ajudar o partido a obter o máximo de votos possíveis e contribuir para passar, ainda mais, as ideias do CDS, trabalhando para dar o nosso melhor por Santa Maria, bater o pé pela ilha e tentar contribuir para resolver alguns dos problemas que se verificam nos transportes aéreos e marítimos, nos constrangimentos que se sentem na área da saúde e no aeroporto, infraestrutura que deveria estar ser muito melhor aproveitada em prol do desenvolvimento da ilha”.

O militante do CDS-PP, de 57 anos, concorre pela primeira vez como cabeça de lista por Santa Maria, e assegura que seria “importante” a ilha voltar a eleger um deputado centrista, como sucedeu nos primórdios da Autonomia, para que a ilha possa ser “verdadeiramente defendida” na Assembleia Legislativa da Região.

“Santa Maria tem dois deputados do PS, partido que governa a Região, mas, muitas vezes, o aspeto partidário sobrepõe-se aos interesses da ilha, ficando para trás a defesa do que realmente Santa Maria necessita”, referiu João Filipe Silva, candidato que pretende “voltar a fazer história”.

O controlador de tráfego aéreo há salientou ainda o trabalho que o Grupo Parlamentar do CDS-PP tem feito em prol dos Açorianos, registando que “seria importante” o partido eleger mais um deputado, desta vez pelo círculo de Santa Maria.

Entre os principais objetivos da candidatura, o cabeça de lista destaca a necessidade de haver transportes aéreos e marítimos “com mais frequência e mais baratos, para que os Marienses consigam sair, mas também para atrair mais visitantes à ilha, ajudando a dinamizar a economia local”. Outra preocupação manifestada prende-se com a questão da diminuição da população, pelo que defende a criação de mecanismos de atração e fixação dos jovens na ilha.

 

 

 

 

 

Foto: CDS-PP Açores

GI CDS/+central

 

Link permanente para este artigo: https://maiscentral.com.pt/cds-pp-lamenta-clima-de-medo-imposto-pelos-socialistas-nos-acores/