Carlos Furtado defende plenário virtual em janeiro nos Açores

Direitos Reservados

O deputado independente Carlos Furtado enviou uma carta ao presidente da Assembleia Regional dos Açores a defender a realização do plenário de janeiro por via virtual devido ao aumento de casos de Covid-19.

Numa carta dirigida ao presidente do parlamento açoriano, Luís Garcia, datada de 31 de dezembro e enviada à comunicação social, Carlos Furtado considera “preocupante” os “níveis de contágio” da Covid-19 na região.

“Sou do entender que a realização do plenário do mês de janeiro dever-se-á realizar por meios telemáticos, dando-se assim nota pública que os políticos e as instituições públicas que estes representam estão, na primeira linha, sensíveis aos problemas de saúde pública que o mundo atravessa”, lê-se na carta.

O parlamentar independente, que foi eleito pelo Chega, defende que “cabe à classe política dar o exemplo de resiliência” e “responsabilidade social” durante este período de “constrangimentos” provocados pela pandemia.

“Considerando a necessidade de restringir a circulação de pessoas e a aglomeração das mesmas até aos limites que proporcionem o normal funcionamento da sociedade, com vista a permitir que a capacidade do SRS [Serviço Regional de Saúde] não se esgote, o que impediria o regular funcionamento destes serviços”, acrescenta.

O plenário está previsto decorrer entre 11 e 14 de janeiro, de forma presencial, na sede do parlamento açoriano, na cidade da Horta, na ilha do Faial.

O plenário da Assembleia Regional dos Açores já decorreu de forma online em 2020, aquando da primeira vaga da pandemia da Covid-19.

Lusa/+central

Link permanente para este artigo: https://maiscentral.com.pt/carlos-furtado-defende-plenario-virtual-em-janeiro-nos-acores/