XXII Congresso do PS: Vasco Cordeiro classifica como “instrumentais” PCP, PEV e Bloco de Esquerda

Vasco Cordeiro defendeu hoje que o PS deve pedir a maioria absoluta nas próximas legislativas, e classificou como “instrumentais” os partidos que apoiam o Governo (PCP, PEV e BE).

Numa intervenção perante o 22.º Congresso do PS, o também presidente do Governo regional dos Açores foi o primeiro dirigente socialista a defender que o partido deve pedir a maioria absoluta, dizendo ser um “debate prematuro, apressado e precipitado” a discussão sobre como deve ser a solução governativa no pós-2019.

“Prematuro porque tal significa prescindir já daquilo que me parece legítimo, possível e desejável, que é o PS pedir aos portugueses um reforço de confiança que se traduza numa maioria absoluta nas próximas legislativas”, defendeu, recebendo um forte aplauso dos congressistas.

Para o líder dos socialistas açorianos, o compromisso do PS é “com o país e com os portugueses e não deve estar subordinado aos interesses de outros partidos sejam eles quais forem”.

“O PS é o garante do equilíbrio virtuoso entre vários interesses em presença, os partidos que apoiam este Governo são instrumentais para garantir esse equilíbrio virtuoso”, apontou.

O dirigente socialista apontou que um Governo do PS tem responsabilidades “bem para além da simples reversão da austeridade”, a de “pôr o país no caminho do crescimento económico”.

Sublinhando que, nos Açores, o PS conquistou em 2016 a sua sexta vitória consecutiva em eleições regionais e a sua quinta maioria absoluta seguida, Vasco Cordeiro deixou alertas sobre a necessidade de reforço das autonomias.

“Tem sido o PS o partido das autonomias. Num momento em que tanto se fala de descentralização, e o PS ergue bem alto esta bandeira, é oportuno lembrar que as autonomias regionais são o caso de descentralização mais bem-sucedido da história do Portugal democrático”, disse.

Vasco Cordeiro defendeu que “este caso de sucesso deve ser reforçado e aperfeiçoado”, quer ao nível de uma intervenção da arquitetura institucional das regiões autónomas, quer no caso de competências em novas áreas de intervenção, como o mar.

“Não é possível falar de descentralização sem, mais cedo ou mais tarde, falar do reforço e do aprofundamento das autonomias regionais”, alertou.

 

Foto: PS

Lusa/+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/xxii-congresso-do-ps-vasco-cordeiro-classifica-como-instrumentais-pcp-pev-e-bloco-de-esquerda/

1 comentário

    • Carlos Melo Bento on 26 Maio, 2018 at 20:52
    • Responder

    O Presidente Vasco Cordeiro, com este discurso, traduz, parece-me, o pensar da maioria do Povo Açoriano. Afora as afirmações meramente socialistas naquele contidas, estou inteiramente de acordo com o seu raciocínio, fruto duma vastíssima experiência de governo lúcido e prudente.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.