Vasco Cordeiro desmente Santos Silva sobre “usos adicionais” para a Base das Lajes

O presidente do Governo dos Açores desmentiu hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros sobre a eventualidade de “usos adicionais” descritos no orçamento da Defesa dos Estados Unidos da América para 2018.

“Não é verdade que o orçamento da Defesa dos Estados Unidos para 2018 estabeleça essa possibilidade de usos adicionais”, afirmou Vasco Cordeiro, acrescentando que “parece-me importante sermos rigorosos na análise desta questão, como acredito que é intenção de todos”.

Augusto Santos Silva havia anunciado ontem, no Parlamento, que o orçamento da Defesa dos Estados Unidos recomendava ao Pentágono que analisa-se “usos adicionais para a presença militar” norte-americana na base das Lajes, nos Açores.

Vasco Cordeiro esclareceu que esta “era uma proposta da Câmara dos Representantes” que não teve aceitação no Senado, e na formulação final da Lei de Orçamento da Defesa dos Estados Unidos para 2018 “isso não consta”.

“Não sei se o senhor ministro se enganou, (…) o que sei é que, da análise que faço relativamente a esta matéria, esta alteração de posicionamento do Congresso dos Estados Unidos relativamente à possibilidade de novos usos, traduzida formalmente pelo facto de ter deixado de constar da Lei do Orçamento da Defesa deve merecer uma leitura por parte do Estado português”, salientou, reforçando que “isto não nos pode fazer esquecer uma questão que é, para o Governo Regional dos Açores, a questão fundamental neste momento que é a questão da descontaminação”.

Perante o desmentido do presidente do Governo dos Açores, António Ventura questiona “qual a credibilidade” de Augusto Santos Silva para continuara a negociar o dossier da Base das Lajes com os norte-americanos.

“Não merece a confiança dos açorianos. Tenho repetido, e volto a dizer, com este Governo estamos em perigo, inclusive perigo de saúde”, referiu o social democrata, realçando que “não existem dúvidas que não se interessa com a descontaminação, não se interessa com a base das Lajes e provavelmente troca a Base das Lajes por ouros interesses”.

Segundo o deputado açoriano, o ministro está a “vender” os Açores em troca de outros interesses.

Ventura recorda que “esta não é primeira vez que Santos Silva mente”, e concretiza que Santos Silva, enquanto ministro da Defesa de José Sócrates, “sabia da decisão do Governo dos Estados Unidos em diminuir o contingente militar nada fez, escondeu o assunto”.

“Santos Silva (ministro da Defesa) a 18 de abril de 2010, quando questionado sobre a eventual diminuição do contingente militar norte-americano, disse: «não conheço nenhum documento norte-americano mas sei ler mapas. E basta ver o mapa para perceber a importância geoestratégica absolutamente essencial da Base das Lajes para os Estados Unidos e para o conjunto das instituições que asseguram a paz no nosso mundo»”, lembra o deputado.

António Ventura acusa ainda António Costa de ser “cúmplice de Santos Silva”

“António Costa, enquanto líder da oposição, afirmou a 19 de janeiro de 2015 que «fomos todos apanhados de surpresa. O documento que anuncia a redução do papel das Lajes `só´ tem 5 anos. E quem quiser ler o documento pode ficar a saber que até 2025 as Lajes vão sofrer outro downgrade»”, lembra o parlamentar salientando que António Costa era, em 2010, colega de Governo de Santos Silva, revelando que o Governo de Sócrates “já sabia da decisão dos Estados Unidos e escondeu-a, para não ter de tomar medidas”.

“Também desde 2005 que se sabe da contaminação, pelo estudo Hydrogeological Study Report, Lajes Field, Azores, Portugal, de 2005. Este relatório foi tornado público em 2008. Em 30 de abril de 2008 o Governo dos Açores — tendo como seu presidente Carlos César — emitiu uma nota pública, através do seu gabinete de comunicação, a dizer que nada sabia”, lembrou ainda o deputado eleito pelos Açores.

 

 

 

 

+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/vasco-cordeiro-desmente-santos-silva-sobre-usos-adicionais-para-a-base-das-lajes/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.