República sem verbas no OE 2018 para a descontaminação na ilha Terceira

O ministro do Ambiente remeteu hoje para o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, as explicações sobre as verbas no Orçamento do Estado para 2018 (OE 2018) a alocar ao processo de descontaminação dos solos e aquíferos na ilha Terceira.

Para o PSD, esta é uma posição que demonstra “desinteresse” do Governo da República por esta matéria.

“O senhor ministro não pode vir aqui dizer que não é nada consigo e atirar para outro ministério. (…) isto significa negligência, desleixo, inconsciência e irresponsabilidade”, afirmou António Ventura, numa intervenção no debate, na especialidade, das propostas de Orçamento do Estado e Grandes Opções do Plano para 2018.

Para o social democrata açoriano, “o Estado está a atentar contra a população da ilha Terceira e está a demitir-se das suas funções básicas”.

Ventura recordou que o último relatório do LNEC afirma que a contaminação existe e que continua, que vários investigadores estão a relacionar diretamente o número elevado de cancros com a contaminação de metais pesados e hidrocarbonetos, lamentando que Matos Fernandes “não saiba de nada”.

“Isso representa bem a irresponsabilidade deste governo”, realçou.

Também Berta Cabral considera que “está na hora de o governo português atuar subsidiariamente, cumprindo o compromisso assumido no Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT)”, no que toca à descontaminação na ilha.

A vice-presidente do grupo parlamentar do PSD na Assembleia da República entende que se trata “do maior desastre ambiental dos Açores, e talvez do país, sendo que é um problema nacional que decorre de facilidades concedidas pelo Estado Português no âmbito de um acordo internacional”.

“Neste momento, o processo de descontaminação, faz que anda, mas não anda”, disse a deputada açoriana, considerando que o processo “não pode continuar, eternamente, à espera de novas negociações com o Governo dos Estados Unidos da América”.

Já a deputada socialista eleita pelos Açores entende que se deve esperar pelos resultados das negociações na Comissão Bilateral, entre Portugal e os Estados Unidos da América.

“Estamos a poucas semanas da próxima Comissão Bilateral Permanente, em que o tema central é o da descontaminação ambiental da ilha Terceira”, afirmou Lara Martinho, acrescentando que “decisões e ações efetivas são urgentes e cruciais para que se ultrapasse este impasse no processo de descontaminação da ilha Terceira”.

Segundo a vice-presidente bancada socialista na Assembleia da República, “o grupo parlamentar do PS proporá e apoiará o que resultar desse entendimento”.

“Não deixaremos de exigir solidariedade nacional”, garantiu a deputada açoriana.

 

Foto: Direitos Reservados

+central

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *