República admite “repercussões eventuais” na produção de carne nos Açores devido ao MERCOSUL

O ministro dos Negócios Estrangeiros admitiu hoje na Assembleia da República eventuais repercussões na produção e comercialização de carne com origem nos Açores, devido à abertura do mercado protocolada no acordo MERCOSUL.

“O facto de termos de melhorar as ofertas no que diz respeito à carne bovina, implica olhar com atenção para repercussões eventuais em relação, nomeadamente, à produção de carne nos Açores”, afirmou Augusto Santos Silva, em audição na Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, realçando que “isto acontece em todas as negociações”.

Segundo o governante, “temos de fazer uma comparação” e, neste caso, este acordo com os países da América Latina é “amplamente favorável” a Portugal, nos pontos de vista político, estratégico e económico.

O ministro respondia ao deputado do PSD, eleito pelos Açores, António Ventura, que considera o aumento da concessão de carne de bovino, ao abrigo do acordo MERCOSUL, de 70 mil para 99 mil toneladas, lesivo para os produtores de carne açorianos.

“Portugal voltou a não se opor a essa concessão. Isto afeta países periféricos e regiões ultraperiféricas, como os Açores, por estes países não terem os mesmos critérios legislativos que existem na União Europeia”, salientou o deputado social democrata.

António Ventura não entende, num momento em que não se conhecem ainda os impactos do Brexit e do CETA, que a Europa conceda esta cota aos países do MERCOSUL.

“A questão aqui é saber que outros interesses estão identificados por Portugal para não se opor a esta concessão de cota, no âmbito da bovinocultura de carne”, questionou.

 

 

 

 

Foto: Direitos Reservados

+central

 

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/republica-admite-repercussoes-eventuais-na-producao-de-carne-nos-acores-devido-ao-mercosul/

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.