Radioterapia: número de casos não possibilitam abertura de unidade na Terceira

O secretario regional da Saúde revelou esta semana que os Açores “seguem a tendência nacional” no que diz respeito à relação entre utentes e equipamentos de radioterapia, sendo que o número de casos provenientes da ilha Terceira “não garantem a possibilidade de abertura de uma segunda unidade de tratamentos”, com a qualidade e segurança necessárias.

“Nos Açores seguimos a tendência nacional de haver quatro equipamentos por cada milhão de habitantes. Nós temos um equipamento para cerca de 250 mil habitantes, cumprimos aquilo que é a tendência nacional”, afirmou Rui Luís, em Angra do Heroísmo, durante a visita de trabalho do Governo dos Açores.

O governante sublinhou que os tratamentos de radioterapia são “extremamente sensíveis” para os utentes e “exigentes para os profissionais de saúde” que os ministram, sendo “fundamental” existirem um número de casos suficientes para que se possa trabalhar com qualidade e segurança, tal como é exigido.

Rui Luís realçou que os utentes que acedem ao serviço da clínica existente em São Miguel estão “muito satisfeitos” pela qualidade do serviço prestado, salientando que a empresa privada que disponibiliza estes tratamentos “ainda não tem” o número de casos que estavam inicialmente previstos para poderem operar na Região.

O secretário regional referiu, ainda, que o número de casos provenientes da ilha Terceira “não garantem a possibilidade de abertura de uma segunda unidade de tratamentos”, com a qualidade e segurança necessárias.

Recorde-se que o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT) está equipado com uma unidade de radioterapia que, no entanto, nunca foi ativada.

 

 

Foto: JEdgardo Vieira

+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/radioterapia-numero-de-casos-nao-possibilitam-abertura-de-unidade-na-terceira/

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Joao Borges on 8 Novembro, 2018 at 21:27
    • Responder

    Agora e altura de S. Miguel na teoria deles ( NAO todos mas os IGNORANTES SO) de se VINGAREM da Terceira por tido sido a UNICA CAPITAL OFICIAL dosh Acores ( Angra do Herismo) pelo Bispo ser Bispo de Angra e dos Acores e o Quarrel General Dos Acores ser na Terceira desde da Descoberta ate ao Fim da Monarquia .Hoje como sao a ilha mais Importante ( JUSTAMENTE PORQUE E A COM MAIS POPULACAO) UNIDADE SENHORES .

    • Manuela Neves on 9 Novembro, 2018 at 14:57
    • Responder

    É mesmo surreal uma declaração desta natureza! O sr. Secretário não tem a mínima noção das necessidades de um doente que precisa tratamento de radioterapia. O hospital de Angra tem espaço preparado para instalar uma máquina de radioterapia, só não o fazem por questões políticas! Então estão à espera que aumentem os casos de cancro? Para justificar a aquisição de equipamentos? E os que atualmente precisam tratamento? Continuam a deslocar-se para Lisboa ou S. Miguel! Infelizmente quem se submete a estes tratamentos acaba por passar mal são vários os sintomas, e pouco agradáveis. Se ao menos os terceirenses doentes pudessem fazer o tratamento na sua ilha, estariam muito mais confortáveis durante este terrível período. Para não falar do dinheiro gasto em deslocação, alimentação, transportes, alojamento , etc e não é de certeza o dinheiro que a deslocação de doentes dá que chega para fazer face a estas despesas. Por isso e muito mais o nosso governo deveria repensar este assunto e resolver a questão! SIM À RADIOTERAPIA NO HOSPITAL DE ANGRA

    • Pedro on 9 Novembro, 2018 at 22:43
    • Responder

    Confirmam que o hospital da Terceira é um perigo, só coisas mal feitas , o povo até tem medo de lá ir, só fazem merda , ainda matavam gente e acabavam com os pobres cancerosos de vez. Pior no medo do povo, só o matadouro.

    • Pedro on 9 Novembro, 2018 at 22:45
    • Responder

    Só fazem asneiras e asneiras naquele hospital da Terceira. Eles que mandam devem até ter medo de por uma coisa dessas , ainda matavam os doentes!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.