PSD/Açores denuncia “crimes fiscais” no Hospital de Ponta Delgada

Luís MaurícioO PSD/Açores denunciou hoje que o hospital de Ponta Delgada não entregou 2,8 milhões de euros de descontos dos seus funcionários à Segurança Social, considerando que tal se trata de um “crime fiscal”.

“O governo regional do Partido Socialista não se envergonha do facto de empresas públicas regionais, como são os hospitais da nossa Região, reterem os descontos dos seus trabalhadores, não respeitando os seus compromissos perante a Segurança Social”, afirmou o deputado social-democrata Luís Maurício, na Assembleia Legislativa dos Açores.

O parlamentar do PSD/Açores baseou a sua denúncia no relatório e contas de 2015 do hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, que aponta que esta unidade de saúde, devido a problemas de tesouraria para satisfazer as necessidades básicas dos doentes, reteve pagamentos à ADSE e à Segurança Social.

“Os senhores foram obrigados a negociar com a Segurança Social, em agosto de 2015, um plano de pagamentos dos trabalhadores do hospital de Ponta Delgada em 60 mensalidades. Imagine-se se tal tivesse ocorrido com uma empresa privada. Mas disso, os senhores não se envergonham”, disse Luís Maurício, dirigindo-se ao governo regional e aos deputados do PS.

Segundo o relatório e contas de 2015, a administração do hospital de Ponta Delgada teve de negociar um plano de pagamentos de cinco anos com a Segurança Social, de modo a saldar a dívida de 2,8 milhões de euros, a que acrescem mais de 400 mil euros em juros.

O deputado social-democrata acrescentou que a retenção dos descontos dos funcionários para a Segurança Social por parte do hospital de Ponta Delgada “é uma prática reiterada e que constitui crime fiscal”.

 

 

 

GI PSD/+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/psdacores-denuncia-crimes-fiscais-no-hospital-de-ponta-delgada/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.