Oposição defende posição pública do município de Angra do Heroísmo sobre voos da Delta Airlines

Os Vereadores do PSD/Açores, na Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, entendem que deve existir uma “posição pública de manifesto” da autarquia sobre as anunciadas ligações aéreas entre os Estados Unidos da América e os Açores.

Esta posição foi defendida em reunião de executivo camarário, no inicio de janeiro, onde Marcos Couto e Miguel Bezerra salientaram que a ilha Terceira “deveria ser a maior beneficiária” desta nova rota aérea, em virtude do downsizing das forças militares norte-americanas na Base das Lajes e do encerramento da loja da TAP na ilha.

Os eleitos social democratas defendem que a autarquia liderada por Álamo Meneses deve mostrar uma atitude proativa, pressionando o Governo Regional na busca de uma solução que traga à ilha Terceira algum do retorno económico que dessas ligações aéreas advirá.

Recorde-se que o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, admitiu, na Assembleia Legislativa Regional, que esta nova rota aérea advém de negociações mantidas, desde 2015, entre a Turismo dos Açores/ATA e a companhia aérea norte-americana Delta Airlines.

O presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo admitiu que a ilha Terceira “perdeu centralidade com uma rapidez enorme”, acrescentando ter já agendada uma reunião com o presidente do Governo Regional para analisar esta situação.

 

 

 

 

Foto: Direitos Reservados

+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/oposicao-defende-posicao-publica-do-municipio-de-angra-do-heroismo-sobre-voos-da-delta-airlines/

1 comentário

    • Joaquim Coutinho on 26 Janeiro, 2018 at 14:53
    • Responder

    Caros amigos adoro a Terceira e principalmente Angra penso que mais que a maioria dos terceirenses. Penso mesmo que o bom receber da Terceira e as suas lindas duas cidades devem ser o ponto aglutinados do turismo da Terceira. Resumindo um turismo do mar, da esplanada, do bom comer que os estrangeiros adoram (alias comemos melhor na terceira do que em São Miguel). Ligar a História ao turismo é fundamental.

    Primeiro de tudo é necessário que os próprios terceirenses acreditem e invistam na sua terra. O desenvolvimento económico não se dá por decreto. O turista vai para onde quer e quando quer (se não, não tínhamos a famosa época baixa que tanto mal causa ao turismo e á sua qualidade). Os terceirenses têm de criar a atratividade para o turismo. Decreto nenhum irá fazer isto. Tudo passa pelos empresários terceirenses acreditarem, não o governo, não pela câmara. Temos muitos terceirenses a investir fora da sua terra quando deveriam estar mais concentrados na sua própria terra.

    Eu sou micaelense e estou a investir na terceira e cada vez com mais força. Acho a Terceira um filão muito mal explorado mas isto cabe aos privados não ao governo. Adoro a Terceira e os Terceirense e acredito em ambos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.