NRP `Viana do Castelo´ concluiu missão na Zona Económica Exclusiva dos Açores

O navio patrulha oceânico `Viana do Castelo´ terminou, no dia 6 de abril, a missão na Região Autónoma dos Açores, que tinha iniciado dia 26 de dezembro. Durante este período o navio assegurou o dispositivo naval padrão da Marinha nos Açores, garantindo o cumprimento de várias missões.

Em especial a resposta a incidentes no âmbito da busca e salvamento marítimo, em apoio ao Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada.

Conjuntamente, o navio garantiu a vigilância e fiscalização da ZEE dos Açores, a monitorização constante sobre navios científicos a operar na região, contribuindo para o exercício da autoridade do Estado no mar nas áreas de soberania e jurisdição nacional, e ainda, a presença junto das diversas comunidades das Ilhas que constituem o arquipélago, recebendo um total de 1145 visitantes.

Mesmo no período de inverno, que normalmente é extremamente rigoroso na Região Autónoma, o NRP Viana do Castelo navegou mais de 1100 horas e percorreu 11415 milhas náuticas. Neste período, realizou 30 ações de controlo da atividade da pesca, executou ainda exercícios conjuntos com o Exército e com o helicóptero EH-101 da Força Aérea Portuguesa (FAP), a operar na região, bem como operações conjuntas de vigilância marítima com a aeronave C-295 da FAP. Foram também realizados dois exercícios de combate a incêndios nos portos de Praia da Vitória e Ponta Delgada em colaboração com os bombeiros voluntários da Praia da Vitória e de Ponta Delgada.

Durante o referido período foram detetadas 14 embarcações em situação de presumível infração, nomeadamente a operar em áreas de Reserva Natural e a operarem sem possuírem equipamentos de comunicações adequados e exigidos por lei, à sua área de navegação. Simultaneamente, o trabalho do navio patrulha oceânico visou a fiscalização de embarcações de pesca comunitárias, que estavam a pescar entre as 100 e as 200 milhas do mar dos Açores.

O navio da Marinha apoiou também logisticamente a Autoridade Marítima, em especial no transporte de material de combate à poluição aquando do encalhe do navio Mestre Simão na Madalena do Pico. Foi ainda efetuado um simulacro de combate à poluição e um exercício de segurança marítima, na Ilha de S. Maria, que permitiu utilizar o NRP Viana do Castelo como plataforma de apoio à projeção de meios humanos e materiais da base logística do Departamento Marítimo dos Açores, situada em Ponta Delgada.

O navio regressou à Base Naval de Lisboa, no Alfeite, tendo chegado no domingo, 8 de abril.

 

 

 

 

 

Foto: Marinha

CZMA/+central

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.