Cosmética e outras mentirinhas — Opinião de João Costa

João Bruto da CostaNo dia 1 de Abril de 2016, foi anunciado que a Secretaria do Mar do Governo dos Açores tinha adjudicado uma obra de mais de 7 milhões de euros na zona costeira da Barra, em Santa Cruz da Graciosa.

Tratava-se da prometida, falada e mais do que discutida marina da Barra na Graciosa, que até deixou de ser marina para ser protecção costeira, pois o tempo dos fundos para marinas tinha passado e mesmo que prometida há mais de 8 anos o Governo não conseguiu avançar antes do final de 2013!

Não foi falta de ser anunciada no célebre cartaz da “Poça das Salemas” que apregoava a obra antes de eleições e que agora tem lá uma fotografia da pessoa que anunciou a obra e que passou a liderar o governo que agora a adjudicou, em primeiro de Abril, e, chegados a Setembro de 2016, ainda só se conhece o anúncio da adjudicação.

Podia ser brincadeira de Abril, mas de brincadeiras já estão os graciosenses fartos e esta aventura de fazer uma marina na Graciosa dava para um livro, tantas as peripécias que vão adiando os projectos mais falados na Graciosa nos últimos anos.

A pouco mais de um mês de eleições, estas coincidências de uma rocambolesca forma de governar – que se arrasta nestes últimos 4 anos para o pior que o PS pode oferecer aos açorianos – são um exemplo do que tem sido um completo desnorte que vai atirando ilhas para becos sem saída!

Na Graciosa, seja marinas que agora são outra coisa, seja um matadouro que nem sequer consegue começar antes do final da legislatura, perdidos 4 anos que tanta falta vão fazer a quem se vai aguentando a viver da terra, passando pelo Cais Novo em Santa Cruz, que iria voltar a ser novo o quanto antes e que só faltou mesmo foi que se fizesse ainda antes do final da legislatura, até porque foi anunciado já também há meses.

Agora até se anunciam praias por um dia, ou por uma semana, atirando areia para os olhos dos praienses numa tentativa desesperada de que alguém esqueça há quantos anos está prometida uma solução para a Baía da Praia, para o areal, para algo mais do que cosmética e tentativas de fazer esquecer, mesmo que de forma ridícula, o quanto a Praia é esquecida há anos e anos.

Só para lá da Rochela se viram melhorias municipais, mas mesmo desde a entrada no porto comercial e toda a zona dos antigos fornos de telha e cal até à nunca acabada protecção dos Fenais, que a Praia aguarda que se cumpram promessas e mais promessas que nunca conheceram mais do que conversa e mais conversa.

Para lá do anúncio de 1 de Abril, de que uma obra tinha sido adjudicada com prazo de execução de 18 meses, fica a certeza de que temos 20 anos de muitos anúncios feitos a render de 4 em 4 anos como se fosse possível ignorar, depois de uma receita repetida, agora se usarem outra vez mundos e fundos para encontrar soluções de fazer parecer que se fez aquilo que, na verdade não está lá fisicamente, não foi posto ao serviço das pessoas, não criou riqueza nem emprego, não melhorou em nada a vida da comunidade e, quanto muito, vai servindo para esconder responsabilidades, que é como quem diz, para lavar mais branco.

Não é possível, nem mesmo que atirem todas as primeiras pedras das obras que não foram feitas nos últimos anos na Graciosa à memoria das pessoas agora em vésperas de eleições, esconder as responsabilidades de quem governa e de quem suporta o governo regional. Nem mesmo com muita cosmética eleitoral ou com algumas mentirinhas vai resolver nos próximos 4 o que não quis fazer nos últimos 20!

Fim da conversa de chat

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/cosmetica-e-outras-mentirinhas-opiniao-de-joao-costa/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.