Concelho das Velas assume-se oficialmente como a “Capital do Queijo” nos Açores

O Concelho das Velas é oficialmente, desde a noite desta terça-feira, a “Capital do Queijo” nos Açores. No âmbito das festividades em honra ao Padroeiro São Jorge, o município apresentou uma nova imagem de marca que visa “melhorar a promoção externa do queijo e da própria ilha”.

A apresentação da marca foi realizada em sessão que decorreu no Auditório Municipal das Velas, seguida de um show cooking com degustação de vários produtos gourmet confecionados com o Queijo da Ilha de diferentes curas, tendo o presidente da Câmara Municipal, Luís Silveira, referido que “a criação da marca Velas – Capital do Queijo vai ser um fator essencial a que os turistas, em particular, olhem para o nosso Concelho e para a nossa Ilha, como um destino onde a natureza nos brindou por belezas únicas, onde o alojamento assume requintes de bom gosto e onde a gastronomia se evidencia, entre outros, pela existência de um produto de excelência — o nosso queijo”.

Com a adoção desta nova marca, as Velas dão um contributo “para ajudar a promover uma atividade económica que, desde o povoamento desta ilha, sempre se assumiu como a principal fonte de sustento da maioria das nossas famílias”, afirmou o autarca, acrescentando que este é apenas “mais um passo no sempre complexo caminho da promoção externa da nossa Terra, mas estamos certos que poderá ser um importante meio de captação de novos fluxos e, por via deles, da geração de mais riqueza”.

Nesta sessão de apresentação da marca foi lançado um novo logotipo onde o Queijo de São Jorge se assume como o centro das atenções, passando a ser a imagem do Município, assim como um vídeo promocional de Velas – Capital do Queijo que é o primeiro de uma série de iniciativas que serão levadas a cabo pela Autarquia, no âmbito “de uma campanha promocional a desenvolver em diversas plataformas, como a televisão, rádios, jornais e nas redes sociais”, referiu Luís Silveira.

Brincando com as palavras, o edil salientou que “não podemos (nem devemos) esquecer os ensinamentos dos nossos antepassados”, colocando este património ao serviço do futuro desenvolvimento do Concelho, lembrando três provérbios populares onde o queijo é rei: “Queijo com pão faz homem são”; “Banana com Queijo sabe a beijo” e “Pão, pão… Queijo, queijo”.

Luís Silveira destacou que com a criação desta nova marca dá-se um passo importante para combater uma lacuna que existia na oferta turística.

“Qualquer pessoa que planeie as suas férias tem em conta três aspetos: O que visitar? Onde ficar? E o que comer? Ora, a nossa Ilha já é por muitos conhecida como a ilha das Fajãs, que, e muito bem, o nosso concelho vizinho da Calheta, assumiu promover como Capital das Fajãs. Por outro lado, no que toca ao alojamento, a Câmara Municipal de Velas faz um reconhecimento público, e merecido, à capacidade empreendedora dos jorgenses, pela forma como têm sabido dar respostas privadas ao aumento da procura de turistas, particularmente pela excelência e bom gosto de muitos dos investimentos em alojamento local e alojamento ligado ao turismo de natureza que têm surgido na Nossa Terra. Agora, com a marca Velas – Capital do Queijo damos o passo que faltava”, realçou.

A história do sustento de um Povo

Os produtores de leite de São Jorge produzem um dos melhores leites do mundo, nos dias que correm, mas a atividade queijeira na ilha iniciou-se praticamente após o povoamento da ilha. A produção de leite e queijo intensificou-se a partir do século XVI.

No princípio, a produção visava essencialmente o auto consumo, mas o queijo foi ganhando fama ao longo dos últimos cinco séculos, particularmente pela sua forma única de produção, através de leite cru, bem assim pelas características organoléticas, derivadas das condições endafo-climáticas da ilha. Tanto assim é que os registos históricos das primeiras remessas de exportação do queijo de São Jorge remontam ao final do século XVI.

Mas a história da fama do queijo confundiu-se sempre com os altos e baixos da produção e com as limitações que a insularidade impõe às exportações. No século XIX, as condições de produção do afamado queijo ainda eram muito precárias, existindo registos de problemas de higiene e falta de processos uniformes na sua produção. No início do século XX existiam mais de 8 dezenas de pequenas fábricas de queijo na nossa ilha, número que foi sendo reduzido, mas não na medida necessária a evitar uma crise de produção a meados no século. O grande número de unidades de transformação levou a uma escassez de leite, no final da década de 30, a que se somou o facto de muitas queijarias contribuírem para a produção de queijo de fraca qualidade. No ano 2000, ainda subsistiam 9 unidades de transformação de leite cru de vaca na ilha, tendo-se então, no arranque deste novo século, desenrolado um processo de industrialização da produção que teve a importante vantagem de não descaracterizar a jóia da coroa da economia jorgense.

Ora, para o presidente da Câmara das Velas, que associou as festas de São Jorge à temática “O Queijo e a sua História”, a evolução da produção indica que, “mais uma vez souberam os produtores jorgenses adaptar-se às imposições da modernização, tendo hoje a ilha um produto de excelência reconhecido e premiado internacionalmente”.

Apesar desta excelência, alertou Luís Silveira, “é certo que continuam a subsistir dificuldades que resultam das especificidades que a insularidade e a realidade de arquipélago impõem, nomeadamente ao nível das dificuldades de exportação do produto, associados a outros fatores externos, como embargos de países à importação de produtos lácteos oriundos do espaço europeu”, reconhecendo, porém, “o grande trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelas Cooperativas, no sentido de melhorar os pagamentos à produção, diversificar a oferta e garantir uma mais eficaz distribuição e exportação do nosso queijo”.

 

 

 

 

Foto: CMV

GC CMV/+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/concelho-das-velas-assume-se-oficialmente-como-a-capital-do-queijo-nos-acores/

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.