CDS quer garantias de funcionamento do radar meteorológico na ilha Terceira

alimaO presidente do grupo parlamentar e líder do CDS-PP Açores exigiu, esta terça-feira, que o Presidente do Governo “não capitule” e “garanta” a manutenção em funcionamento do radar meteorológico instalado na Serra de Santa Bárbara, ilha Terceira, acusando os socialistas de terem aceite o desmantelamento do equipamento por parte das forças militares norte-americanas instaladas as Lajes.

Numa conferência de imprensa, junto ao único radar meteorológico instalado na Região, no cimo da Serra de Santa Bárbara, Artur Lima lembrou que “há sete anos, desde 2009”, que o CDS-PP insiste na necessidade de os Governos Regional e da República desenvolverem todos os esforços no sentido da instalação de uma rede de radares meteorológicos nos Açores (preferencialmente três radares, um por cada grupo de ilhas), criticando “Vasco Cordeiro e António Costa de nada fazerem” para evitar que a Região fique sem radar.

“Casa roubada trancas à porta. Desde 2009 que o CDS alerta para este problema. Fizemos requerimentos, fizemos projetos de resolução (o primeiro foi chumbado pelo PS, em 2010), em 2013 insistimos na recomendação, tendo o PS exigido que incluíssemos na proposta, para além da rede de radares meteorológicos também uma rede de estações meteorológicas de superfície para aprovar a iniciativa; na Assembleia da República foi aprovada também uma Resolução do CDS a comprometer o Governo central a fazer este investimento e, no último Orçamento de Estado, foi aprovada outra proposta do CDS que compromete o atual Governo da República a investir na instalação da rede de radares meteorológicos nos Açores”, lembrou.

“Até hoje o Governo Regional não fez rigorosamente nada, mas agora vem o Presidente do Governo para a comunicação social dizer que é contra a ausência de um radar meteorológico nos Açores. O Presidente do Governo participou nas últimas reuniões da Comissão Bilateral Permanente de acompanhamento do Acordo da Base das Lajes e nós pensávamos que ele iria defender a passagem da tutela do radar americano para gestão portuguesa, mas ao que parece o Presidente do Governo apenas ficou com perspetivas de que isso poderia vir a acontecer, o que não acontecerá”, apontou Artur Lima.

O Líder Parlamentar dos populares afirma que “com governantes destes não vamos a lado nenhum”, considerando que o desmantelamento do radar de Santa Bárbara “é um grande prejuízo para os Açores, em geral, e para a ilha Terceira, em particular, que perde mais uma das suas importantes valências”.

Aliás, criticou, “esta tem sido a gestão socialista: tem esvaziado e desmantelado a ilha Terceira e os Açores das suas valências”.

Para os democratas-cristãos açorianos “é preciso lembrar que são necessários, pelo menos, dois radares meteorológicos na Região e estando este já aqui instalado não faz qualquer sentido que seja retirado só porque o Governo dos Açores e o Governo de Portugal capitulam perante os interesses dos norte-americanos. O que é que o Presidente do Governo e o Presidente da Câmara da Praia foram fazer às Comissões Bilaterais? Eles que expliquem aos Terceirenses! E que influência tem Vasco Cordeiro perante António Costa para exigir dos americanos que este radar fique cá definitivamente?”.

“Vamos exigir que o Governo da República assuma a responsabilidade deste radar ficar aqui e a trabalhar, já que o Presidente do Governo Regional e o Presidente da Câmara da Praia se demitem das suas funções e o Presidente da Câmara de Angra assobia para o lado porque não é nada com ele, enquanto a Terceira está cada vez mais depenada e com cada vez menos capacidade de fixar cá os seus jovens e de criar cá boas oportunidades de emprego”, advertiu.

 

 

 

Foto: CDS-PP Açores

GI CDS-PP/+central

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *