CDS-PP quer valorizar setor do Turismo com “profissionalização” e “formação”

graca-silveiraA candidata do CDS-PP pelo círculo eleitoral da Terceira, às eleições regionais de outubro, defendeu hoje medidas de profissionalização, formação e apoio ao setor do turismo na Região, “sob pena de matarmos a galinha dos ovos de ouro”.

Graça Silveira, número três da lista pela Terceira, visitou o Posto de Turismo do Alto das Covas, no centro da cidade de Angra do Heroísmo, tendo apresentado soluções de incentivo ao setor: a profissionalização da Associação de Turismo, campanhas promocionais focadas, apoio à estrutura de custos das unidades hoteleiras e estágios profissionais alargados a outras regiões como forma de combater a sazonalidade.

“O setor do turismo representa, neste momento, cerca de 40% das nossas exportações, fazendo entrar na Região, sensivelmente 140 milhões de euros por ano, sendo a única indústria com verdadeiro potencial de crescimento, para os próximos anos. Por isso, as potencialidades turísticas dos Açores devem ser bem planeadas, e bem promovidas, sob pena de matarmos a galinha dos ovos de ouro”, afirmou Graça Silveira.

Acompanhada pelos candidatos Nuno Melo Alves e Alonso Miguel na visita que efetuou, a número três da lista popular disse que “o CDS considera que é urgente encontrar soluções que minimizem o problema crónico da sazonalidade, como o apoio à indústria hoteleira ao nível dos gastos energéticos, como sejam, eletricidade, água, gasóleo e gás, que representam um elevado peso na estrutura de custos, na época baixa”, recordando que “o CDS já apresentou uma proposta (medida 30-30), em que o Governo deveria apoiar em 30% os custos energéticos nos períodos do ano em que a taxa de ocupação seja inferior a 30%”.

Por outro lado, acrescentou, “a qualificação da nossa oferta, passa pela formação de quem trabalha no turismo e, portanto, o CDS defende a criação de protocolos com outras regiões, como Madeira, Canárias e Cabo Verde, para que os programas ESTAGIAR T e L permitam aos nossos estagiários integrar empresas nessas regiões durante a nossa época baixa”. Desta forma, segundo preconizam os democratas-cristãos, “para além de adquirem uma elevada experiência em contexto de trabalho, que lhe conferirá um nível de formação muito superior, evita-se que estejam parados nas nossas empresas durante esse período”.

Graça Silveira salientou ainda que “a concorrência é cada vez mais agressiva, os meios são caros, os recursos escassos e o produto Açores ainda pouco conhecido”, pelo que “nem com uma estrutura altamente profissionalizada, com grande experiência no mercado, este seria um processo fácil. Sem ela, é simplesmente impossível”. Por isso, “a Associação Turismo Açores com uma estrutura de custos com pessoal a rondar os 750 mil euros, tem a obrigação de ser altamente profissional, com vários gestores de produto e/ou mercado, desenvolvendo a captação de nichos de mercado para as diferentes ilhas em função do tipo de oferta”.

Para a candidatura do CDS-PP pela ilha Terceira “não podemos continuar a gastar milhões em campanhas publicitárias generalistas em grandes mercados, pois, comparativamente, às campanhas de outros destinos emergentes, como por exemplo o Dubai, caiem como uma agulha num palheiro, tendo um efeito em termos de notoriedade, quase nulo”.

 

 

 

 

Foto: CDS-PP Açores

GI CDS-PP/Açores

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *