CDS-PP/Açores denuncia: certificação do aeroporto das Lajes foi um “embuste”

O presidente do CDS-PP/Açores afirmou hoje que “o aeroporto das Lajes continua a ser militar com uma operação civil, aliás, como é desde 1970”, realçando que “o termo certificação, conforme afirmou o presidente do Governo, é um embuste”.

“O que houve foi uma agilização de procedimentos”, adiantou Artur Lima, que levou a algumas mudanças, nomeadamente “a passagem da autorização dos voos para a aerogare civil, sendo, por isso, urgente o reforço do quadro de pessoal, sobretudo nas operações”.

O líder dos populares açorianos falava após uma visita à aerogare civil das Lajes, onde se fez acompanhar da presidente da Comissão Política Concelhia da Praia da Vitória, Andreia Vasconcelos.

De acordo com Artur Lima, “continua praticamente tudo na mesma”. No entender do centrista, existem questões que precisam ser devidamente agilizadas, nomeadamente, “o sistema de raio-x que está absolutamente obsoleto, necessitando de uma mudança urgente, visto que atrasa a operação dos aviões”.

Para Artur Lima é inadmissível que “uma mala tenha de ser rastreada duas vezes, em virtude de o sistema de rastreio ser lento e ineficaz”.

Ainda segundo o presidente do CDS-PP/Açores, “apesar da aerogare ter doze balcões de check-in, tem apenas um coletor central operacional, quando o sistema estava projetado para ter dois coletores centrais”, daí existirem, por vezes, filas intermináveis que são inadmissíveis para a vida dos açorianos e para quem nos visita.

Relativamente às escalas técnicas, Artur Lima considerou ser “lamentável que ainda se continue a obrigar os passageiros a desembarcarem do avião para fazer a escala técnica, quando é possível, como todos nós sabemos, cumprindo algumas regras, que os passageiros fiquem dentro do avião, ao mesmo tempo que é abastecido”.

Artur Lima mostrou-se surpreendido pela “falta de uma divulgação mais completa da dita certificação”, esperando, no entanto, que “a agilização de procedimentos, se traduza num aumento de escalas técnicas, se traduza num novo raio-x, se traduza nos doze balcões de check-in a funcionar, se traduza num aumento de tráfego e se traduza também na implementação da base da SATA Internacional na Terceira, como o CDS já propôs há dois anos na Assembleia Legislativa dos Açores e foi chumbado pelo PS”.

O presidente do CDS Açores referiu que “não se admite, em democracia, que existam documentos secretos, nomeadamente protocolos, que têm de ser publicados para terem validade legal”. Artur Lima referia-se ao discurso do ministro da Defesa, aquando da cerimónia de atribuição da certificação civil da Base das Lajes.

O governante referiu que tinham sido elaborados “documentos estruturantes”, como o Manual do Aeródromo, o Programa de Segurança da Aerogare Civil das Lajes e determinados protocolos e acordos.

Para o líder do CDS, uma vez que “estes documentos não estão publicados, o que vou fazer é um requerimento a pedir ao Governo regional que disponibilize essas informações”, porque “é inadmissível que o manual de operações da aerogare e o manual do aeródromo não estejam disponíveis”.

 

 

+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/cds-pp-acores-denuncia-certificacao-do-aeroporto-das-lajes-foi-um-embuste/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.