Catarina Cabeceiras confia na “maturidade política” dos jorgenses para defender a ilha

cabeceirasA cabeça de lista do CDS-PP Açores pelo círculo eleitoral de São Jorge confia na “maturidade política” dos jorgenses para defender a ilha no parlamento regional.

“Agora, mais do que nunca, é fundamental dar força ao CDS-PP para que São Jorge não volte para trás. Desde 2008, que os jorgenses têm vindo a mostrar uma enorme maturidade política e um grande sentido democrático. Desde que São Jorge passou a ter um Deputado do CDS eleito e desde que os jorgenses se libertaram das amarras dos tradicionais partidos da governação, a nossa ilha tem sido falada, defendida, tem sido olhada com outra atenção por parte dos principais responsáveis da governação regional”, disse Catarina Cabeceiras, na sua intervenção na sessão pública de apresentação dos candidatos às legislativas regionais de 16 de outubro.

A candidata insistiu também na mensagem de que em São Jorge “os nossos votos não servem para eleger Presidentes do Governo”, antes, referiu, “os nossos votos só servem para garantir um quadro de pluralidade que possa permitir que São Jorge continue a ser falado, defendido e apoiado por quem vier a governar os Açores”.

Traçando o cenário onde a dinamização da economia é fulcral Catarina Cabeceiras acentuou que “PS e PSD são demasiados iguais no essencial e pouco diferentes nas políticas que preconizam”, salientando que “São Jorge só chegou onde chegou porque falharam as políticas públicas que poderiam ter ajudado a fixar jovens, atrair mais famílias, proporcionar novos negócios, criar mais empregos, gerar mais riqueza, vivermos mais felizes”.

A candidata popular atribui “responsabilidade a uma governação que se perpetua no poder há 20 anos”, afirmando que “as políticas do PS – na saúde, impondo austeridade; na educação, fechando escolas nas freguesias; na agricultura, asfixiando o setor cooperativo; nas pescas, não proporcionando melhores condições aos pescadores; nos transportes, não implementando um sistema integrado e que garanta regularidade e maior aproximação entre São Jorge e o resto do Grupo Central – levaram a uma estagnação da economia, que gerou desemprego, apatia social, emigração, falta de capacidade de fixação de jovens, e que deve merecer dos jorgenses uma forte reflexão”.

Assim, preconizou, “o que São Jorge precisa é de dinamizar a sua economia”, “valorizar os nossos produtos”, frisando que “não podemos continuar a receber prémios pelo nosso queijo e produzir um dos melhores leites da Europa, sem que os nossos agricultores não sejam pagos pelo justo valor do seu trabalho e sem que as nossas fábricas não tenham dificuldades de escoamento do queijo, obrigando-se muitas vezes a vender um produto de alto valor acrescentado como produto de marca branca”.

Nas pescas, prosseguiu, “não podemos continuar a ter pescado de qualidade reconhecida, conservas premiadas internacionalmente, sem que os nossos pescadores e as nossas indústrias transformadoras não sejam capazes de exportar em tempo útil, valorizando o rendimento dos nossos pescadores; Não podemos continuar a usar as imagens das nossas fajãs para fazer promoção turística da ilha e dos Açores sem que se invista a sério no Plano Integrado de Desenvolvimento das Fajãs de São Jorge, proposto pelo CDS, aprovado pela Assembleia, mas esquecido pela governação socialista… Este Plano permitiria a afetação de fundos comunitários à ilha de São Jorge, dinamizando o setor da construção civil, gerando recuperação de património, conservação de trilhos, potenciando o surgimento de novos negócios e empresas ligadas ao setor turístico”.

Catarina Cabeceiras referiu ainda que a ilha “não pode continuar a olhar para a rede de transportes e ver que ela é insuficiente e desarticulada” e que “não pode continuar a ter um serviço de saúde que corta na deslocação de especialista à ilha, que não articula com os hospitais as deslocações dos doentes”.

Referindo que “todos os que se candidatam pelo CDS-PP acreditam que é importante manter uma voz ativa de São Jorge no panorama regional”, a cabeça de lista destacou as qualidades da sua lista: “A lista que hoje apresentamos é jovem, equilibrada e está renovada, com pessoas de diferentes áreas, experiências e de diversos sectores, de várias freguesias da nossa Ilha. Esta lista revela que há uma nova geração de Jorgenses que está disponível para encontrar soluções para o futuro na nossa Ilha, para procurar respostas positivas para os novos desafios, acreditando e defendendo ideias e propostas sempre em prol do desenvolvimento de São Jorge, defendendo sempre os superiores interesses e valores dos jorgenses! A candidatura do CDS-PP apresenta uma nova dinâmica pessoal e pretende encontrar respostas para Dar Valor a São Jorge”.

 

 

 

 

Foto: Catarina Cabeceiras Facebook

GI CDS-PP/+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/catarina-cabeceiras-confia-na-maturidade-politica-dos-jorgenses-para-defender-a-ilha/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.