Artur Lima quer promover a frequência do ensino superior com incentivo financeiro

artur limaO líder parlamentar do CDS-PP Açores anunciou ontem que vai apresentar, na próxima Legislatura, uma proposta inovadora de incentivo aos jovens açorianos que queiram ingressar no ensino superior, medida que passará pelo apoio no pagamento de propinas e material didático no primeiro ano de frequência universitária.

No final de um colóquio dedicado à educação, formação e capacitação dos jovens açorianos, promovido pelo Partido, na Academia da Juventude da Ilha Terceira, na Praia da Vitória, Artur Lima afirmou que “é preciso incentivar os alunos açorianos a frequentarem o ensino superior”, propondo a atribuição anual de “um apoio de 1.000 euros aos que se matricularem na universidade”.

“O CDS entende que é preciso premiar esta carreira académica dos alunos e incentivá-los a frequentarem o ensino superior. Queremos dar um contributo para isso, que serão 1.000 euros para cada aluno que se matricule no ensino superior”, disse.

O presidente dos populares açorianos explicou que este apoio será definido em diploma próprio, criando um regime de apoio aos jovens açorianos que queiram ingressar no ensino superior, prevendo a existência de regras claras para a sua utilização e penalizações em caso de incumprimento.

“Estamos a falar de um incentivo à qualificação e capacitação dos jovens, que passam a poder beneficiar de um prémio pelo esforço de conclusão do ensino obrigatório e acesso ao ensino superior. Estamos também a falar de um importante apoio às famílias. Este apoio será concedido apenas aos jovens que ingressem pela primeira vez no ensino superior, através do pagamento de propinas e aquisição de material didático”, anunciou.

Assim, prosseguiu Lima, “e depois de termos conseguido fazer aprovar, em 2012, um programa extraordinário de apoio ao pagamento de propinas aos alunos açorianos a frequentar o ensino superior público, cujas famílias estejam em situação de grave carência económico-financeira, pretendemos agora, na senda da aposta na qualificação dos nossos ativos jovens, criar um programa regional de apoio ao ingresso no ensino superior que será financiado através das verbas já inscritas no Plano e Orçamento da Região no âmbito da proposta do CDS aprovada em 2012”.

Para Artur Lima, o ensino no arquipélago deveria ter-se desenvolvido e atraído mais jovens para a universidade em 40 anos de Autonomia, uma vez que “o número de alunos inscritos no ensino superior aumentou com a Autonomia, mas a pergunta que se faz é se aumentou o suficiente para qualificar os Açorianos?”.

Artur Lima destacou dados estatísticos para justificar a dúvida: “em 2002 havia pouco mais de 1.000 alunos açorianos a ingressar, por ano, nas universidades; em 2015, o número de alunos açorianos que se matricularam no ensino superior foi de 1.198. Nunca ultrapassamos os 2000 alunos a ingressarem, por ano, no ensino superior. A Autonomia trouxe-nos a Universidade dos Açores, a Autonomia trouxe-nos mais possibilidades de acesso aos estudos académicos, mas não trouxe um aumento significativo de alunos a seguirem estudos superiores. Por isso, o CDS entende que é preciso premiar a carreira académica dos alunos. É, por isso, preciso incentivar e estimular as famílias e os jovens a frequentar o ensino superior. É, neste sentido, que vamos propor a criação deste novo mecanismo de apoio aos jovens e às suas famílias”, concluiu.

O colóquio, aberto ao público em geral e que onde estiveram meia centena de participantes, contou com as intervenções dos professores universitários Nuno Martins e Félix Rodrigues, tendo a reflexão e o debate girado em torno do sistema de ensino em geral, do modelo de educação adotado em Portugal e na Região, da importância da Universidade dos Açores, dos elevados custos de acesso ao ensino superior, entre outros.

 

 

 

GI CDS-PP/+central

 

Link permanente para este artigo: http://maiscentral.com.pt/artur-lima-quer-promover-a-frequencia-do-ensino-superior-com-incentivo-financeiro/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.